emergências
41 3342 2525
comercial
41 3342 5900


Destaques

Fique por dentro dos acontecimentos e novidades.


29/05
2019

Ambulancia Clinicas


É conhecido que mesmo em procedimentos simples, intercorrências podem acontecer. Emergências Médicas em Clínicas e Consultórios apresentam-se mais frequentes que o esperado, exigindo além de consciência, responsabilidade legal dos profissionais da área médica e odontológica.


Pensando nisso, a Plus Santé criou um plano de área protegida otimizado voltado para clínicas e consultórios médicos e odontológicos, que oferece cobertura em caso de eventuais urgências e emergências médicas, 24 horas por dia, independentemente de terem ou não um plano de saúde. 


Em minutos, nossas ambulâncias totalmente equipadas estarão no local para prestar socorro, garantindo ao profissional a segurança jurídica de ter ofertado e acionado um serviço qualificado. 


Para que sua única preocupação seja o bom resultado do seu trabalho, conte com o melhor serviço de emergências médicas para qualquer eventualidade, demonstrando preocupação e respeito por seu paciente.



Ambulancia Clinicas




09/05
2019

Maio amarelo


MAIO AMARELO CHEGOU TRAZENDO REFLEXÕES E NÚMEROS IMPACTANTES SOBRE A FALTA DE CONSCIENTIZAÇÃO NO TRÂNSITO

 

Quem já se viu inserido no estressante trânsito das grandes cidades, também já vivenciou os sintomas de pressa, comportamentos imprudentes, tudo com o objetivo de ganhar tempo e tentar “sair do caos”. Mas na maioria das vezes, é onde a pressa é inimiga da perfeição, mais do que isso, inimiga da vida.


O alto índice de acidentes de trânsito se dá em grande parte pelos fatores mencionados acima, aliados à falta de conscientização geral da população em torno de atitudes preventivas frente ao complexo cenário do trânsito em nosso país.


O Movimento Maio Amarelo vem chamar a atenção da sociedade, de entidades, de empresas e do governo para o alto índice de feridos e mortos. Segundo a organização, 3 mil mortes são registradas todos os dias em ruas e estradas mundo afora.


Caso não sejam adotadas ações efetivas, é possível que em 2020 seja alcançada a marca de 1,9 milhão de mortes - número que subirá para 2,4 milhões em 2030. Serão, segundo as estimativas, de 20 a 30 milhões de pessoas feridas por acidentes.

 

No Paraná, o número de acidente de trânsito com morte caiu 8% em 2018 em relação ao mesmo período de 2017. A preocupação, porém, está em relação aos ciclistas e motociclistas, ambos com aumento de óbitos e vítimas com graves consequências. 


Segundo o médico ortopedista e traumatologista Dr. Wilson Sola Júnior, as principais características das vítimas de trânsito que chegam ao pronto-socorro são: adultos jovens, normalmente retornando de eventos onde foi consumido álcool, motociclista no trabalho ou lazer e vítimas de atropelamentos. 


“Cada vez mais graves e assustadoras, a complexidade das lesões e fraturas tem aumentado em todos os aspectos, sendo cada vez mais frequente aquelas com alto impacto nas atividades socioeconômicas do paciente. Em muitos casos, necessitam de várias abordagens de especialidades diferentes e tem impacto definitivo na vida esportiva, social e profissional. Pacientes com lesão neurológica definitiva, submetidos a amputações e portadores de infecções tem tratamento ao longo de toda vida.”

 

Quando se fala em ciclistas e motociclistas, a realidade é ainda mais dura, com incidência de aproximadamente 50% dos acidentes de trânsito, sendo o risco de morte 20 vezes maior do que em um automóvel


“Atualmente tem sido também expressivo o aumento de número de ocorrências envolvendo patinetes. Sem que haja uma regulamentação adequada, os números só tendem a aumentar. A conscientização da população ainda é a arma mais poderosa de que dispomos” – conclui Dr. Sola.

 


Durante todo o mês de maio, instituições governamentais, profissionais de saúde e empresas que atuam diretamente no trânsito, levantam fortemente essa bandeira de prevenção e conscientização, como sendo a mais eficaz alternativa para minimizar índices tão alarmantes.


A Plus Santé Emergências Médicas, empresa que vivencia de perto essa triste realidade, reforça o movimento para que a saúde esteja sempre na preferencial. “Lutamos diariamente para ver nossa cidade com um trânsito mais tranquilo, colaborativo e consciente. Neste mês em especial, apoiamos fortemente o Movimento Maio Amarelo, que conscientiza a população como um todo e nos ajuda em nosso propósito maior, o de abrir caminhos para a vida!”– conclui Mauren Colombo, Diretora da empresa.



Leia também:

Quando a Pressa Precisa ser Amiga da Perfeição

Abrir Caminhos para a Vida é mais que Conscientização

Surpreendido por uma Emergência Médica? E Agora?

Como Sobreviver as "ites" de uma Cidade Bipolar como Curitiba?



 



Maio amarelo
Fonte:  Dr. Wilson Sola Júnior - Médico Ortopedista eTraumatologista




24/04
2019

NO DIA MUNDIAL DE COMBATE À MENINGITE, A INFORMAÇÃO DEVE VENCER O MEDO


TOP FIVE ESPECIALISTA

EDIÇÃO 4

Profissional convidado: Dra. Emília Schmidt Xavier - Pediatra



Recentemente o assunto meningite veio à tona com bastante evidência por conta do falecimento do neto do ex-presidente Lula.

Embora destacado pontualmente, esse é um tema que sempre gerou muita preocupação aos pais, principalmente com relação às crianças.  

No dia 24 de abril, Dia Mundial de Combate à Meningite, campanhas reforçam a importância da informação por parte da população, identificando corretamente os reais sintomas, que muitas vezes são confundidos com outras doenças, o que contribui para a alta letalidade da doença.

Segundo o Ministério da saúde, estima-se a ocorrência de pelo menos 1.2 milhões de casos da doença por ano no mundo, com cerca de 130 mil óbitos.

Para esclarecer as dúvidas da população e evitar desespero desnecessário, convidamos a pediatra Dra. Emília Schmidt Xavier, para participar do Top Five Especialista do mês e clarear questões fundamentais em torno dessa importante temática:


1.     Qual a real gravidade dessa doença quando identificada em seu estágio inicial?


As meningites e meningococcemias são infecções graves em todos seus estágios.

O diagnóstico precoce nos permite uma intervenção mais eficiente e com menos sequelas. E muitas vezes, o tempo de diagnóstico pode ser o fator fundamental para salvar uma vida. Portanto, toda atenção e informação são importantes, não deixando para amanhã o que pode ser verificado hoje.

 

2.     Como se identificar os principais sintomas, sem confundir com outras doenças?


Os sintomas são muito semelhantes a outras doenças no início do quadro.  Porém, observar sempre cefaleia (dores de cabeça), febre, vômitos, irritabilidade ou sonolência. Manchas no corpo e abaulamento da fontanela (moleira) também são pontos a serem observados.

Se não for rapidamente tratado, o quadro pode evoluir para sintomas de confusão mental, sepse e risco de óbito.

 

3.     É possível se prevenir da meningite? Qual a relação da prevenção com as vacinas?


Algumas meningites são imunopreveníveis, existindo atualmente vacinas para a prevenção dos 5 sorogrupos no Brasil, a vacina contra a meningite meningocócica causada pelo tipo B e a vacina contra os tipos A, C, W e Y. A vacina para a prevenção do meningococo B está indicada a partir dos 2 meses de idade, somente disponível na rede privada. Temos à disposição atualmente no programa básico de vacinação pelo SUS a vacina meningocócica C. O ministério da saúde acaba de informar que iniciará também em breve a vacinação para a meningite ACWY.

A vacinação ainda é uma das melhores formas de prevenção contra a doença. Outras formas para a prevenção incluem evitar aglomerações e manter os ambientes ventilados e limpos.


4.     Ao se aproximar do inverno, algumas doenças tendem a se acentuar, como gripes, resfriados e outras infecções de oportunidade. A meningite também pode ser considerada uma doença sazonal?


Por vezes temos surtos de meningites, mas sua ocorrência se dá o ano todo. Sendo assim a importância de não haver atraso na vacinação das crianças e grupos de risco.

A procura ao pronto atendimento ou ao seu pediatra, em qualquer época do ano, é um fator fundamental para o diagnóstico precoce e tratamento imediato.


5.     Além das crianças, adultos e idosos também são considerados grupos de risco, que exigem maiores cuidados?


Alguns fatores de risco são associados a alguns patógenos particularmente. 

Um exemplo seria o HIV que aumenta a susceptibilidade de risco a outros patógenos.

Outros exemplos são pacientes alcoolistas, diabéticos, esplenectomizados, insuficientes renais, entre outras condições de saúde que podem comprometer o sistema imunológico.

Algumas situações especiais também podem ser fatores de risco para meningites como procedimentos neurocirúrgicos e até mesmo sinusites e otites.

Outros hábitos considerados de risco são o tabagismo, aglomerações (escolas, ambientes fechados e não ventilados) e uso de medicações como corticoides cronicamente.

Nos grupos citados a vacinação deve ser realizada corretamente, sendo a prevenção sempre o melhor remédio.


 



NO DIA MUNDIAL DE COMBATE À MENINGITE, A INFORMAÇÃO DEVE VENCER O MEDO
Fonte: Dra. Emília Schmidt Xavier




1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22»

Dr. Miguel Mariano Marzinek
Diretor Técnico Médico
CRM 16.675

Serviço de Ambulância Plus Santé - Rua Gonçalves Dias, 234 - Batel - Curitiba - Paraná - Brasil - CEP 80240340 - 41 3342 5900
Copyright © Plus Santé Emergências Médicas S.A. 2015 -2019 Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Desenvolvido por Casal Design Lovers